As aventuras de Diana e Luca no Rio de Janeiro

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Breve desabafo

É muito difícil educar filhos. O mundo de informação e o consumismo enlouquecido atrapalham a jornada dia após dia. Tudo parece fácil e pra ontem. Hoje, por exemplo, dei dois pacotes de cartas da Fifa para o Luca. Prometi outros dois, caso ele estudasse para a prova de amanhã.

- Dois, mãe? Quatro? Ah, mas meus amigos ganham dez, vinte, trinta de cada vez...!

E a preguiça, gente? O Luca não anda, se arrasta. Para estudar, às vezes, bota as pernas na cadeira, na mesa, se encolhe todo. Um olho no papel, outro na TV - desligada! Para se arrumar para o judô, quanto atraso, quanto sufoco. Vou ficar louca, assim. Aí, reclamando da minha vida com o Lúcio, a milhares de quilômetros de distância, ouço o conselho do pai sábio:

- Cris, se antecipa. Se o Luca tem de sair às 8h50 para a natação, dá o café mais cedo, manda escovar os dentes às 8h20, trocar de roupa em seguida. Às 8h45, ele estará pronto!

Na verdade, muitas vezes, a frustração é porque a criança obviamente não tem o mesmo ritmo do adulto. E a bronca que vem depois do atraso, do desleixo, nunca é 100% por causa do filho. É a dificuldade em lidar com alguém totalmente diferente de si, depois de um dia de trabalho, de frustrações pessoais, de cansaço. A gente quer o melhor para nossos pequenos, mas nem sempre consegue fazer isso de forma delicada, como nos filmes.

Marcadores: ,

7 Comentários:

Blogger Larissa disse...

Oi Cris, vc não me conhece... Meu nome é Larissa, também moro no Rio e tenho dois filhos.

Só gostaria de dizer que adoro o seu blog, já leio faz um tempo, e me identifico muitíssimo com seus sentimentos, alegrias e frustrações de mãe.

Dá um certo alívio a gente ver que nossas preocupações não são tão incomuns assim. Como dizem, as mães são todas iguais, só mudam de endereço.

Obrigada!

2 de setembro de 2010 19:19

 
Blogger Love, Ink disse...

Cris, acompanho o seu blog há tanto tempo, antes mesmo de eu sonhar em ser mãe. E o que sempre me trouxe de volta pra cá era a sua dedicação e o carinho que falava do Luca, e depois da Diana. Isso sem deixar de ser um adulto interessante, ligada em coisas modernas e legais. Não te conheço pessoalmente, mas tenho certeza absoluta de que você faz tudo mais do que certo. Então, querida, nessas horas, levanta a cabeça, respira fundo e siga adiante. Todas nós, mães, temos dias difíceis. Beijo grande!

3 de setembro de 2010 09:21

 
Anonymous Silvana disse...

Oi Cris,
As vezes penso que eu acho que eu sou uma pessoa altamente neurótica por causa dessas questôes de dever de casa obrigações e outros....
Na escola os "pedagogos" dizem que não podemos propor trocas para se fazer o que se tem que fazer, pense se é possível, lá em casa as trocas e ameaças(que eu odeio) são o tempo todo, as vezes fico com pena do meu pequeno que mais fica de castigo que fora dele.
E ainda tem os outros stresses da vida trabalho, supermercado e correria.
O meu filho é alguém totalmente de bem com a vida, livre, nada pra ele é problema, tudo é solução(mais parecido com o Pai), as vezes fico com medo de passar o meu stress pra ele e aprisioná-lo num mundo de cobranças, mas por outro lado temos que mostrar que as "obrigações da vida" tem que ser cumpridas.
Outro dia assisti ao filme "Como domar seu dragão"(acho que é esse o nome), é um aprendizado para podermos trabalhar a aceitação e entender nem todos podem ser iguais(as vezes quero que o meu pense com a minha cabeça-acho que o meu nível de loucura está altíssimo, para alguém do meu tamanho-como diria a Lilo-Lilo & Stitch) as pessoas tem diferentes ritmos e maneiras de encarar a vida.
(Desculpe o desabafo, mas compartilho com você todas essas ansiedades de ser mãe-Ah eu sou sua amiga "de infância", apesar anônima, desde antes da Di nascer)

3 de setembro de 2010 10:28

 
Blogger Daniela de Floripa disse...

Que luta né Cris?!Eu como mãe de um menino de 9 anos também vivi este mesmo dilema.Mas , estou seguindo o conselho que o Lúcio te deu , e tem surtido efeito por aqui.Faz tempo que não estamos atrasando para os compromissos e estamos menos estressados (eu principalmente , porque ele não está nunca preocupado com nada!).

Lá em casa não faço uso desse sistema de troca.Por enquanto não tem precisado , mas tem que ter paciência para aturar a enrolação para fazer o dever.

Com relação ao consumismo , também me assusta , mas vou seguindo com meus princípios , mesmo que destoando da grande maioria.

Você é um uma mãe maravilhosa e como todas nós , tentando acertar sempre e amando nossos filhos acima de tudo.

Beijos

3 de setembro de 2010 14:46

 
Anonymous Camila Sesti disse...

Cris, às vezes tu parece que lê os meus pensamentos... bjs

3 de setembro de 2010 17:52

 
Blogger Rosa Mônica disse...

Oi Cris td q/ vc falou eu tb acho, fico aliviada de saber q/ outros para compartilhar.
Bjs.

3 de setembro de 2010 18:38

 
Blogger Lali disse...

Parece que vc está falando do meu filho. E vendo karatê-kid, vi que mãe com filho homem, é igual em todo o canto.... me identifiquei muito tbém. O Lúcio tem razão. Eu sempre deixo p/ acordá-lo p/ a natação, contando que tudo vai ser rápido, sem demoras. Ele quer se vestir com calma, descer com calma, mas tem que sair correndo, p/ chegar na hora H, sempre vestindo a touca no carro, colocando os óculos no caminho... Se eu considerasse que a aula é 9h, e não 9h10, teria mais tranquilidade...

4 de setembro de 2010 00:26

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

 
Free Web Counter
Website Hit Counters