As aventuras de Diana e Luca no Rio de Janeiro

domingo, 26 de setembro de 2010

Em SP with Love

Eu sou daquelas pessoas que moram no Rio mas não rejeitam São Paulo. Acho que já falei isso aqui. Voltei à terra da garoa para me encontrar com o Lúcio que está há cinco semanas fora de casa. Fiz tanta coisa em 36 horas.

Na chegada, imediatamente após o aeroporto, passei pela Chris Francini + Paula Martins, consultoras de estilo que fazem um dos meus blogs preferidos e que têm uma linha de camisaria maravilhosa. (As duas moças são muito simpáticas e charmosas, adorei a visitinha rápida na Vila Madalena.)

Do hotel, Lúcio e eu fomos para a casa de uma colega de trabalho que virou amiga. Um apartamento em Higienópolis, que parece saído de uma revista. Cimento queimado na parede, objetos de viagem, muitas histórias nessas peças, quadros, gravuras e fotografias misturados, livros e mais livros, ladrilho branco nos banheiros e na cozinha debruçada sobre a sala. No cardápio, iguarias árabes, carpaccio, bacalhau, doce de abóbora com coco. Tem gente que nasceu para receber, não adianta!

Dali, cruzamos a cidade até o Shopping Cidade Jardim. Hum, digamos que é um Fashion Mall maior, mais luxuoso, mas nada do outro mundo. Visitei a Paula Ferber, a Huis Clos - mas gastei meus reais na Lego. (Luca e Diana ficaram no Rio sob os cuidados da babá. Ou seja, os três merecem ganhar presente!) Mesmo sem fome, fiquei de olho na Lanchonete da Cidade e no restaurante italiano que me fugiu o nome. Que vista linda, tem esse restaurante, do skyline de Sampa.

A caminhada abriu o apetite e seguimos para jantar no Maní. Oh, God, que lugar fantástico. O couvert já começa bem com biscoito de polvilho e pirulito de parmezão. A caipiroska mais cara da minha vida (R$ 24) foi também a melhor. Dá pra fazer em casa, com limões siciliano, tahiti e galego e gelo com raspas de gengibre. O prato principal foi robalo assado no tucupi paraense muito leve, divino, sobre banana frita. Uau. Café vem com minibrigadeiro, fechando uma experiência gastronômica e tanto. (Em frente ao Maní, outro restaurante que é uma graça, o Mercearia do Conde.)

Depois de nove horas de sono, isso que dá viajar sem filho, convenci o Lúcio a ver os Jardins do Ibirauera - exposição em frente ao MAM daqui. Não é que ao contrário do que imaginava não tinha fila pra Bienal...! Vi muita coisa bacana, muita coisa ruim e enganosa, e muita criança pelos corredores do pavilhão. As obras de arte são interativas, os meninos adoram - e eu adoro pais e mães que ensinam a arte de visitar museus desde cedo.

Ainda estava relativamente cedo, mas a gente tinha reserva no Figueira Rubayat e lá fomos nós encarar uma belíssima picanha argentina, um arroz biro-biro, pão de queijo delicioso, panquecas de doce de leite. Ai, dieta, me aguarde na segunda-feira. O visual do Figueira é incrível mesmo, adorei ter conhecido.

O pós-almoço foi bem paulistano: caminhada pela Avenida Paulista sob uma garoinha bem fina.

Marcadores: ,

5 Comentários:

Blogger Vanessa disse...

O saudade de Sampa!
bjs

26 de setembro de 2010 19:29

 
Anonymous Rosa Mônica disse...

Eu ammmooo Sampa de paixão!!!Esses restaurantes q/ vc foi são ótimos.
Bjs.

29 de setembro de 2010 11:16

 
Blogger Daniela Chuahy disse...

Cris, o restô no Shopping Cidade Jardim é o Due Cocchi. Delicioso!!!!! Tem que ir na proxima vez, mas pode ser no do Itaim se preferir...
Liga para gente da prozima vez! Bjao

19 de outubro de 2010 23:24

 
Anonymous Anônimo disse...

Oi Cris!!!!

Que saudades!!! Quando voltar a SP me avise , que vou adorar te encontrar!!!!

Bjs
Fabiana

23 de outubro de 2010 13:14

 
Anonymous Anônimo disse...

era o que eu ia dizer, due cuochi, super bom...

marilia

13 de novembro de 2010 11:11

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

 
Free Web Counter
Website Hit Counters