As aventuras de Diana e Luca no Rio de Janeiro

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Dia 11 - Em casa em Lisboa

A gente acordou para um café da manhã sem igual: arroz doce, suco feito na hora, rabanada, bolo, pão com queijo e presunto, uma dádiva. A Casa do Bairro é comandada por três amigos. Um deles, o querido João, deu dicas em mapas e folders e, assim, pela primeira vez em dez dias, Lúcio e eu fomos cada um para um lado. Ele ficou entre a internet no quarto e as fotos das sacadas do Bairro Alto e eu me vi dentro de um ônibus rumo a Belém. O que me levou até lá não foram o Padrão dos Descobrimentos e o Mosteiro dos Jerônimos, mas o Museu Berardo, de arte contemporânea, aberto recentemente no Centro Cultural de Belém. Além de obras de Miró, Picasso e Man Ray, vi uma baita exposição da artista portuguesa Joana Vasconcelos. Diferente de tudo, bem humorada, brincalhona, exagerada, uma crítica, segundo ela, ao excesso de consumismo no mundo de hoje. Para digerir tanta novidade, encarei um pastel de Belém a 0,90 Euro. Ah, se cobrassem o que realmente vale! O ônibus da volta me deixou no Cais do Sodré, de onde subi pela Rua do Alecrim, para esquecer da vida. Dei de cara com a minha adorada Marc by Marc Jacobs em frente ao Teatro São Carlos, me encantei com as relíquias reeditadas da www.AVidaPortugesa.com, namorei cafés, livrarias, as conversas dos estudantes na Praça Camões, lojas do Chiado como Kiehls, Du Parreil ao Meme, Massimo Dutti, Sephora, tudo pertinho, a poucos passos. E, de volta ao Bairro Alto, descobri duas pequenas preciosidades: a loja gourmet www.bacoalto.pt e a Magnolia Bakery (!) daqui, a www.tease.pt (que decoração magnífica). Lúcio e eu ainda demos uma volta juntos, de fim de tarde, e nos arrumamos no hotel, para jantar no Fartas Brutos, restaurante mais famoso entre os turistas brasileiros e espanhóis do que entre os locais. Mas a gente não tem do que reclamar, o peixe e o arroz de pato estavam ótimo, assim como o leite em creme, uma versão mais molenga do doce de leite lá de Minas. Agora vou dormir.

Marcadores: ,

3 Comentários:

Anonymous Mariana disse...

O mundo é mesmo pequenoooooooo....
Acompanho teu blogue desde Nova York
e, então, estando eu e um dos meus netinhos no Miradouro de São Pedro de Alcântara (sou gaúcha mas moro em Lisboa há uns tantos anos)vi um homem
e fiquei matutando ... eu conheço essa
pessoa mas não sei de onde. Até que me
deu um "estalo" e tive quase a certeza
de ser teu marido (o reconheci pelas fotos que colocas dele no teu blogue).
Fiquei cuidando pra ver se tu irias aparecer mas tal não aconteceu. Pena!
Pois falar contigo seria bem interes-
sante. Felicidades!

1 de maio de 2010 13:12

 
Blogger Cristiana disse...

Mariana! O Lúcio passou pelo Miradouro sozinho no único dia em que nos separamos na viagem! Eu teria adorado a surpresa! Espero voltar logo à sua maravilhosa cidade. Aí, quem sabe?! Beijos, Cristiana.

18 de maio de 2010 00:50

 
Blogger Cristiana disse...

E, mais! O Lúcio se lembrou de vocês! No dia, ele realmente comentou comigo sobre uma avó brasileira com seu netinho... Que coincidência! + Beijos, Cristiana.

18 de maio de 2010 00:54

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

 
Free Web Counter
Website Hit Counters